Unidade Embrapii CPqD desenvolve novo cabo para redes sinergéticas | AGÊNCIA FAPESP

Unidade Embrapii CPqD desenvolve novo cabo para redes sinergéticas Projeto em parceria com a Furukawa permite a transmissão simultânea de energia elétrica e de dados em banda larga (foto: Wikimedia Commons)

Unidade Embrapii CPqD desenvolve novo cabo para redes sinergéticas

07 de abril de 2017

Agência FAPESP – A Unidade Embrapii CPqD, em parceria com a empresa Furukawa, concluiu o desenvolvimento de um cabo híbrido, metálico, com fibra óptica no interior, capaz de conduzir energia elétrica e, ao mesmo tempo, fazer a transmissão de dados em banda larga, de acordo com a assessoria de comunicação da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial.

A nova tecnologia, chamada de OPDC (Optical Distribution Cable), já está disponível e vem servindo de base para outro projeto inovador no país: a implantação de uma rede sinérgica, desenvolvida pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), com o apoio dos programas de P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

O diferencial da nova tecnologia é o uso da fibra óptica dentro do cabo energizado, em redes de média tensão. O acesso às fibras ópticas no cabo condutor exige uma proteção elétrica, feita por meio de um dispositivo isolador que é o resultado importante e inovador desse projeto.

A nova tecnologia permitirá o compartilhamento da infraestrutura de comunicação em banda larga entre as diversas operações da concessionária de energia e, também, com operadoras de telecomunicações e provedores de serviços de internet, por exemplo. O projeto custou R$ 1,4 milhão.

Mais informações estão disponíveis no site da Embrapii

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados