1 Unesp inaugura em Araraquara novo laboratório associado do IPBEN | AGÊNCIA FAPESP

Unesp inaugura em Araraquara novo laboratório associado do IPBEN | AGÊNCIA FAPESP

Unesp inaugura em Araraquara novo laboratório associado do IPBEN Unidade integra infraestrutura do SP BIOEN Research Center, originário do convênio firmado entre as universidades estaduais, o governo de São Paulo e a FAPESP (foto: IPBEN)

Unesp inaugura em Araraquara novo laboratório associado do IPBEN

18 de setembro de 2015

Karina Toledo | Agência FAPESP – A Universidade Estadual Paulista (Unesp) inaugura hoje (18/09), às 14 horas, no campus de Araraquara, um novo laboratório associado do Instituto de Pesquisa em Bioenergia (IPBEN).

O IPBEN integra a infraestrutura do Centro Paulista de Pesquisa em Bioenergia – internacionalmente conhecido como SP BIOEN Research Center (SPBioenRC) –, criado em 2009 por meio de um convênio firmado entre o governo do Estado de São Paulo, a FAPESP, a Unesp, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade de São Paulo (USP).

O novo laboratório reunirá projetos desenvolvidos por docentes do Instituto de Química (IQ) e da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara (FCFAR). De acordo com Nelson Ramos Stradiotto, coordenador executivo do IPBEN e professor do IQ, após a inauguração haverá uma mostra com os 37 trabalhos na área de bioenergia que já estão em andamento no campus e serão agora concentrados no novo laboratório.

“Temos uma linha de pesquisa voltada ao desenvolvimento de novos métodos de análise de biocombustíveis e de outros produtos feitos a partir de biomassa. Uma outra busca identificar novos microrganismos e aprimorar os já usados na fermentação do caldo de cana para a produção de etanol. Há ainda projetos na área de metabolômica, que comparam metabólitos encontrados em diferentes variedades de cana-de-açúcar, além de projetos voltados a viabilizar a produção de biogás a partir de resíduos da agroindústria e uma linha de biologia molecular que busca novos microrganismos com o objetivo de aumentar o rendimento na produção de etanol de primeira geração”, contou Stradiotto.

O laboratório associado de Araraquara é o quinto inaugurado no âmbito do IPBEN. Em dezembro de 2014 foi entregue o laboratório central, sediado em Rio Claro. Em abril deste ano a unidade de Guaratinguetá deu início às atividades, seguida por Jaboticabal, em maio, e Assis, em julho. Até o fim do ano devem ser entregues os laboratórios associados de Ilha Solteira, Botucatu e São José do Rio Preto. Para a construção das novas unidades, a Unesp recebeu do governo do Estado de São Paulo cerca de R$ 10 milhões.

“Ao todo serão 5 mil metros quadrados dedicados à pesquisa em bioenergia. Com exceção do prédio de Rio Claro, que foi reformado, todos os outros são novos. Já foram contratados dois pesquisadores e há outros dois em fase de contratação, além de quatro funcionários da área administrativa e operacional”, contou Stradiotto.

Idealizado pela Diretoria Científica da FAPESP com o objetivo de expandir as pesquisas na área de bioenergia e ampliar sua competitividade, o SPBioenRC abrange cinco áreas principais de investigação: Biomassa para Bioenergia; Produção de Bicombustíveis; Utilização de Bicombustível em Motores; Biorrefinaria, Alcoolquímica e Oleoquímica, e Sustentabilidade Socioeconômica e Ambiental.

De acordo com o convênio firmado em 2009, o governo estadual ficou responsável por financiar a infraestrutura do centro. As universidades estaduais devem investir na contratação de recursos humanos. A FAPESP financia os projetos desenvolvidos pelos pesquisadores vinculados ao SPBioenRC.

Cada universidade adotou um modelo diferente para aplicar os recursos. A Unesp criou o IPBEN, a Unicamp, o Laboratório de Bioenergia da Unicamp (LABIOEN), e a USP, o Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP) em Biologia Celular e Molecular na Agropecuária (Biocema), o Centro de Processos Biológicos e Industriais para Biocombustíveis (CeProBIO), o Laboratório de Metabolômica e o The Biomass Systems and Synthetic Biology Center (BSSB).

Também foi criado um Programa Integrado de Doutorado em Bioenergia, oferecido conjuntamente pelas três universidades, que já conta com 40 estudantes.
 

Assuntos mais procurados