Glaucius Oliva assume presidência do CNPq | AGÊNCIA FAPESP

Engenheiro eletrônico é professor titular do Instituto de Física de São Carlos da USP e coordenador do Centro de Biotecnologia Molecular Estrutural (Cepid/FAPESP) (arq.pessoal)

Glaucius Oliva assume presidência do CNPq

27 de janeiro de 2011

Agência FAPESP – Glaucius Oliva, professor titular do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da Universidade de São Paulo (USP), será empossado presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) nesta quinta-feira (27/1), às 16h30, em Brasília, pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante.

A nomeação foi publicada no dia 25, no Diário Oficial da União. Oliva é coordenador do Centro de Biotecnologia Molecular Estrutural, um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) da FAPESP, e coordenador do Instituto Nacional de C&T de Biotecnologia Estrutural e Química Medicinal em Doenças Infecciosas, apoiado pela FAPESP e pelo CNPq.

Oliva graduou-se como engenheiro eletrônico em 1981 pela USP, fez mestrado em física também na USP e doutorou-se na Universidade de Londres, em 1988, na área de cristalografia de proteínas.

O novo presidente já fazia parte da Diretoria Executiva do CNPq e vinha atuando como diretor de Engenharias, Ciências Exatas e Humanas e Sociais desde fevereiro de 2010. Bolsista de Produtividade em Pesquisa 1-A do CNPq, Oliva criou e coordenou o Laboratório de Cristalografia de Proteínas e Biologia Estrutural do IFSC.

Seus principais interesses de pesquisa estão centrados em biologia estrutural e suas aplicações no planejamento e desenvolvimento de novos fármacos, com particular ênfase em doenças endêmicas brasileiras.

É membro titular da Academia Brasileira de Ciências e comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico.

Mais informações: www.cnpq.br
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados