1 FAPESP e Governo de São Paulo apoiarão inovações de relevância pública | AGÊNCIA FAPESP

FAPESP e Governo de São Paulo apoiarão inovações de relevância pública | AGÊNCIA FAPESP

FAPESP e Governo de São Paulo apoiarão inovações de relevância pública Acordo foi assinado em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes (foto:da esq. p/ dir., Goldemberg, Abreu Filho e Alckmin/ Alexandre Carvalho/A2imag)

FAPESP e Governo de São Paulo apoiarão inovações de relevância pública

18 de setembro de 2017

Elton Alisson | Agência FAPESP – A FAPESP e a Secretaria de Governo do Estado de São Paulo assinaram na sexta-feira (15/09), em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, um acordo para o lançamento de uma chamada conjunta para apoiar projetos de pesquisa científica e tecnológica voltados ao desenvolvimento de soluções inovadoras para questões de relevância pública.

A chamada é resultado de uma parceria entre o programa Pitch Gov SP e o Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), que teve início num protocolo de intenções assinado entre as partes em 5 de abril de 2017 (Leia mais em http://agencia.fapesp.br/25071/)

O Pitch Gov SP é uma iniciativa lançada pelo Governo do Estado de São Paulo no final de 2015, em parceria com a Associação Brasileira de Startups, com o objetivo de identificar soluções inovadoras desenvolvidas por pequenas empresas de base tecnológica – startups – para enfrentar os desafios da administração pública nas áreas de Educação, Estatística e análise de dados, Finanças públicas, Habitação, Saneamento e Energia, Saúde, Transparência e Transportes. Nesta segunda chamada do Pitch Gov, as startups estão convidadas a encontrar soluções para 42 desafios. Serão selecionadas 16 startups para resolver problemas naqueles setores. A FAPESP apoiará projetos na área de Saúde.

“Para nós é uma satisfação muito grande assinar um convênio para apoiar o Pitch Gov SP e demonstrar qual é o efetivo papel da FAPESP, que é uma instituição de amparo à pesquisa e à inovação no Estado de São Paulo”, disse José Goldemberg, presidente da FAPESP.

“A FAPESP concederá R$ 200 mil a um projeto que, se trilhar um bom caminho, receberá mais R$ 1 milhão. E depois, na hora que for necessário o projeto ganhar escala, entram outros órgãos financiadores, como a Desenvolve SP [Agência de Desenvolvimento Paulista], o BID [Banco Interamericano de Desenvolvimento], a Finep [Financiadora de Estudos e Projetos] e o BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social]. São boas parcerias para avançarmos mais”, disse o governador Geraldo Alckmin.  

Projetos com escala

As propostas a serem apoiadas pela FAPESP deverão apresentar soluções para desafios na área de Saúde, de forma a atender demandas de institutos públicos como o Adolfo Lutz, Pasteur, Lauro de Souza Lima, Butantan, entre outros. A lista detalhada dos desafios nessa área está disponível no endereço http://www.fapesp.br/chamadas/2017/pitchgov/anexo1.pdf.

“A grande vantagem de um projeto desenvolvido por uma startup ser encampado pelo governo é que ele ganha escala”, avaliou Saulo de Castro Abreu Filho, secretário de governo do Estado de São Paulo.

Seguindo as normas do PIPE, podem apresentar propostas à chamada pesquisadores vinculados a empresas de pequeno porte (com até 250 empregados) com unidade de pesquisa e desenvolvimento no Estado de São Paulo.

As propostas de financiamento devem conter projetos de pesquisa que podem ser desenvolvidos em duas etapas. Na primeira, a Fase 1, o proponente deve demonstrar a viabilidade tecnológica e comercial de um produto, processo ou serviço inovador, com duração máxima de nove meses e recursos de até R$ 200 mil.

A Fase 2 contempla a execução da pesquisa propriamente dita visando o produto, processo ou serviço inovador, com duração máxima de 24 meses e recursos de até R$ 1 milhão (quando os proponentes já tiverem realizado atividades tecnológicas que demonstrem a viabilidade do projeto podem submeter propostas diretamente à Fase 2).

A duração máxima dos projetos selecionados será de até 24 meses. Propostas ao PIPE serão recebidas até 4 de dezembro de 2017 por meio do Serviço de Apoio a Gestão (SAGe) da FAPESP.

Haverá uma reunião aberta a interessados para esclarecimentos sobre como submeter propostas ao PIPE no dia 30 de outubro, na sede da FAPESP.

A chamada está publicada em www.fapesp.br/11246.

Pitch Gov SP

Na primeira edição do Pitch Gov SP foram recebidas mais de 300 propostas de soluções de startups nas áreas da Saúde, Educação e facilidades ao cidadão, e o governo assinou convênio com nove.

Uma delas foi a Nama – startup especializada em inteligência artificial que implantou um atendente virtual para otimizar os agendamentos do Poupatempo em todo o estado.

Chamada “Poupinha”, a tecnologia simplificou os primeiros atendimentos ao cidadão, além de permitir realizar agendamentos para as unidades do Poupatempo e tirar dúvidas on-line.

Em oito meses de operação, o “Poupinha” trocou mais de 36 milhões de mensagens com os usuários e concluiu mais de 1,2 milhão de agendamentos.

“Participar da primeira edição do Pitch Gov foi um divisor de águas para nós”, disse Lúcio de Oliveira, diretor de operações da Nama.

A empresa atende hoje 15 grandes empresas, como o Bradesco e a Gerdau, e virou residente do espaço de empreendedorismo Google Campus no ano passado.

A startup também recebeu financiamento da DesenvolveSP para acelerar o crescimento do negócio.

“Já investimos R$ 110 milhões em startups como a Nama e temos participação em 40 empresas. Uma delas – a Aquarela – também foi selecionada na primeira edição do Pitch Gov”, disse Milton Luiz de Melo Santos, presidente da DesenvolveSP.

As inscrições para a segunda edição do Pitch Gov vão até 15 de outubro de 2017 e devem ser feitas pelo site www.pitchgov.sp.gov.br/.
 

Assuntos mais procurados