FAPESP lança chamada para restauração e uso sustentável da biodiversidade em UCs | AGÊNCIA FAPESP

FAPESP lança chamada para restauração e uso sustentável da biodiversidade em UCs Pesquisadores interessados participaram de reunião na Fundação para esclarecer dúvidas e conhecer casos de sucesso na transferência da pesquisa para a gestão de Unidades de Conservação (foto: Felipe Maeda / Agência FAPESP)

FAPESP lança chamada para restauração e uso sustentável da biodiversidade em UCs

24 de junho de 2019

Maria Fernanda Ziegler  |  Agência FAPESP – Pesquisadores do Núcleo de Pesquisa e Conservação de Cervídeos (Nupecce) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Jaboticabal, reintroduziram uma população de cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus) em uma área central do Estado de São Paulo na qual tais animais estavam extintos.

O trabalho foi feito graças à parceria dos pesquisadores com parques e Unidades de Conservação. Anos depois da reintrodução dos animais, a população está crescendo e o monitoramento das espécies continua. “Sem o apoio das Unidades de Conservação, seria praticamente impossível conseguirmos fazer nossos projetos”, disse José Maurício Barbanti Duarte, coordenador do Nupecce.

Duarte apresentou os resultados de anos de projeto durante reunião na FAPESP para o lançamento de novo edital de pesquisa que visa incentivar o trabalho conjunto de pesquisadores e gestores de Unidades de Conservação (UCs) de São Paulo em projetos de pesquisa que resultem tanto no avanço científico, quanto na melhoria da gestão das UCs.

A chamada de propostas “Conservação, restauração e uso sustentável da biodiversidade em Unidades de Conservação” resulta de acordo firmado entre a FAPESP, no âmbito do Programa BIOTA-FAPESP, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo e a Fundação Florestal.

“É uma coconstrução do projeto entre pesquisadores e gestores e equipe das Unidades de Conservação. Há algumas experiências fora do Brasil nesse sentido e as mais bem-sucedidas são as que geram planos de utilização e de manejo nas UCs. Nesses casos, a pesquisa passa a ser um instrumento permanente nessas áreas”, disse Carlos Joly, da Coordenação do Programa BIOTA-FAPESP, durante a reunião de lançamento da nova chamada de propostas.

Na ocasião, pesquisadores interessados em submeter propostas para o programa puderam tirar dúvidas sobre o edital e conhecer casos de sucesso na transferência da pesquisa para a gestão de Unidades de Conservação.

Com R$ 3 milhões de recursos totais – sendo 50% oferecidos pela FAPESP e 50% pela Fundação Florestal –, o edital é resultado do convênio firmado entre as três instituições com o objetivo de apoiar a implantação das Metas de Aichi (Plano Estratégico 2011-2020 da CDB – Convenção da Diversidade Biológica) no Estado de São Paulo.

As propostas podem ser submetidas até 3 de setembro e devem preencher os requisitos especificados para a modalidade Auxilio à Pesquisa – Regular FAPESP. O valor máximo de recursos para cada proposta é de R$ 200 mil.

De acordo com o edital, os projetos precisam contemplar questões relacionadas ao apoio às UCs, comunicação dos resultados ao público geral, potencial de implementação e replicação dos resultados e envolvimento com a população local.

“Buscamos projetos mobilizadores que integrem pesquisadores e gestores. No edital apresentamos quatro questões principais que são pontos importantes para nortear os projetos. Sugerimos que quando o projeto for desenhado, ele deve responder pelo menos a duas dessas perguntas”, disse Marie-Anne Van Sluys, da Coordenação Adjunta de Ciências da Vida da FAPESP.

Entre os 10 temas que podem ser abordados nos projetos do “Conservação, restauração e uso sustentável da biodiversidade em Unidades de Conservação” estão: avaliação de serviços ecossistêmicos, impacto de agrotóxico ou expansão urbana nas UCs, definição de regiões prioritárias para a conservação da biodiversidade de águas continentais.

A chamada de propostas está publicada em: www.fapesp.br/12910
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados