Benefício do alho é desvendado | AGÊNCIA FAPESP

Pesquisadores norte-americanos descobrem porque uma dieta rica em alho ajuda a combater doenças cardiovasculares (foto: Pnas/AAAS)

Benefício do alho é desvendado

16 de outubro de 2007

Agência FAPESP – Há vários séculos, diferentes culturas têm observado que o consumo de alho é bom para a saúde, especialmente por estar relacionado à redução dos riscos de doenças cardiovasculares. Mas, até agora, a ciência não tinha muito a dizer sobre os mecanismos de ação e os princípios ativos por trás dessas propriedades.

Um grupo de pesquisadores norte-americanos acaba de descobrir, no entanto, que os compostos polissulfídeos derivados do alho digerido são processados pelas hemácias (glóbulos vermelhos do sangue) transformando-se no mensageiro celular sulfeto de hidrogênio (H2S), que relaxa os vasos sangüíneos e aumenta o fluxo sangüíneo.

De acordo com a coordenadora da equipe, Gloria Benavides, da Universidade do Alabama, ingerir alho provavelmente aumenta o suprimento natural de sulfito de hidrogênio no organismo. O estudo será publicado esta semana no site e em breve na edição impressa da revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas).

Para realizar a pesquisa, os cientistas extraíram suco de alho – do tipo comumente encontrado em supermercados – e o adicionaram em quantidades diminutas a hemácias humanas. As células imediatamente começaram a emitir H2S. O sulfeto de hidrogênio, embora seja venenoso em altas concentrações, é essencial, em baixos níveis, para a sinalização celular.

Experimentos posteriores determinaram que a reação química chave aconteceu principalmente nas membranas dos glóbulos vermelhos, embora uma fração do H2S tenha sido também produzida dentro das células.

"Achamos que a produção de H2S desses polissulfídeos orgânicos derivados do alho fornece a base para os efeitos benéficos de longo prazo obtidos pelo consumo habitual da planta", destacou o estudo.

A produção de H2S foi medida em tempo real por um novo sensor polarográfico. Segundo os pesquisadores, a produção de H2S de polissulfídeos orgânicos é facilitada pela presença de compostos de alil e pelo aumento do número de átomos de enxofre. Poucas plantas além do alho possuem compostos de alil e enxofre - e o alho é a única comestível.

De acordo com os autores do trabalho, numerosos estudos destacam os efeitos benéficos de uma dieta rica em alho contra a progressão de doenças cardiovasculares. Mas também há uma série de estudos que indicam a ausência de efeito em suplementos alimentares à base de alho. Por conta disso, os pesquisadores sugerem que a produção de H2S nos glóbulos vermelhos poderia ser usada para padronizar suplementos dietéticos de alho.

O artigo Hydrogen sulfide mediates the vasoactivity of garlic, de Glora Benavides e outros, poderá pode ser lido por assinantes da Pnas em www.pnas.org.


Assuntos mais procurados