Startup apoiada pelo PIPE-FAPESP vence desafio de inovação | AGÊNCIA FAPESP

Startup apoiada pelo PIPE-FAPESP vence desafio de inovação Concurso Paint the Future foi organizado por empresa neerlandesa líder na produção de tintas. nChemi Engenharia de Materiais foi finalista na categoria “Novas Funcionalidades” com solução baseada em nanopartículas (imagem: nChemi Engenharia de Materiais/divulgação)

Startup apoiada pelo PIPE-FAPESP vence desafio de inovação

03 de dezembro de 2020

Agência FAPESP – A empresa nChemi Engenharia de Materiais, spin-off do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), foi a vencedora do desafio de inovação para startups Paint the Future na categoria “Novas Funcionalidades”.

Apoiada pelo Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresa (PIPE), a nChemi apresentou uma solução baseada no uso de nanopartículas funcionalizadas para atribuir novas propriedades aos produtos da empresa AkzoNobel, que produz tintas e revestimentos, tem sede nos Países Baixos e atua em mais de 150 países.

O Paint the Future foi um desafio proposto pela AkzoNobel, com a parceria da LM Ventures e do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper). A edição brasileira aconteceu entre março e outubro. O programa recebeu 135 propostas, que foram avaliadas por um time de 70 colaboradores.

As 16 startups finalistas foram então convidadas para um evento de colaboração, no qual foram escolhidas as quatro vencedoras.

O CDMF é um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP sediado na UFSCar.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados