Jogo treina tabuada de forma lúdica | AGÊNCIA FAPESP

Jogo treina tabuada de forma lúdica Intitulado TabuÁgua, programa foi desenvolvido pela equipe do Ludo Educativo, um projeto de difusão do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais da UFSCar (imagem: divulgação)

Jogo treina tabuada de forma lúdica

21 de janeiro de 2022

Agência FAPESP* – O grupo de desenvolvimento de jogos educacionais Ludo Educativo, vinculado ao Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), relançou o jogo TabuÁgua, que desafia estudantes a treinar tabuada de forma lúdica e pode ser acessado em: www.ludoeducativo.com.br/pt/play/tabuagua.

Em TabuÁgua, o jogador pode competir com Godofredo, um ajudante do secretário de Trânsito de Feijoville, cidade em que se passa o jogo, em uma batalha épica da multiplicação. O jogo é voltado para crianças de 8 a 10 anos e pode ser usado como ferramenta de ensino pelos professores.

Os jogadores precisam ganhar a partida utilizando seus conhecimentos em tabuada. O funcionamento dos pontos é semelhante ao da “batalha naval”, porém, em vez de apenas escolher as posições, o jogador precisa resolver as contas das linhas e colunas para que sua escolha seja válida.

O estudante é estimulado por meio do jogo a resolver contas de tabuada para arremessar a bola e revelar um rival. Existe um limite de tempo para inserir a resposta. Quanto mais rápido o jogador responder, mais pontos fará.

Na avaliação de Elson Longo, coordenador do CDMF, o jogo pode ser uma ferramenta de aprendizado em sala de aula, auxiliando o professor a ensinar as contas básicas da matemática de forma mais atrativa ao aluno. “A batalha naval é um jogo popular que induz a imaginação e criatividade. O jogo TabuÁgua fomenta também o aprendizado da aritmética, auxiliando os estudantes no seu aprendizado da matemática”, diz.

O Ludo Educativo é um projeto de difusão do CDMF, um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP sediado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em parceria com a Aptor Software, uma das spin-offs do Centro.

* Com informações da Assessoria de Comunicação do CDMF.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados