Treinamento técnico em nefropatia diabética experimental na Unicamp | AGÊNCIA FAPESP

Duas vagas são oferecidas na Faculdade de Ciências Médicas. Projeto investiga a contribuição da enzima AMPK para a fibrose renal em modelos experimentais (imagem: NIEHS/NIH)

Treinamento técnico em nefropatia diabética experimental na Unicamp

06 de novembro de 2020

Agência FAPESP – Duas vagas de treinamento técnico de nível três (TT-3) são oferecidas no âmbito do Projeto Temático “Contribuição da via AMPK para a fibrose renal e patogênese da nefro e retinopatia diabéticas”. As inscrições podem ser feitas até 19 de novembro de 2020.

O bolsista vai atuar no Laboratório de Fisiopatologia Renal e Investigação de Complicações do Diabetes Mellitus, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (FCM-Unicamp).

Coordenado pelo professor José Butori Lopes de Faria, o projeto investiga a contribuição da enzima AMPK (sigla em inglês para proteína quinase ativada por monofosfato de adenosina) para a fibrose renal em modelos experimentais de doença renal crônica – incluindo camundongos com deleção da AMPK.

Os candidatos devem enviar currículo para o e-mail lfpr.adm@gmail.com.

Mais informações sobre as vagas em: www.fapesp.br/oportunidades/3955.

A Bolsa de TT-3 tem valor de R$ 1.228,40 mensais. É direcionada a graduados do nível superior, sem reprovações no histórico escolar e sem vínculo empregatício. A dedicação deverá ser de 16 a 40 horas semanais às atividades de apoio ao projeto de pesquisa. O tempo de bolsa TT-3 será descontado no caso de o interessado vir a usufruir de Bolsa de Mestrado ou Doutorado Direto.

Mais informações sobre as bolsas de Treinamento Técnico da FAPESP: www.fapesp.br/bolsas/tt.

Outras vagas de bolsas, em diversas áreas do conhecimento, estão no site FAPESP-Oportunidades, em www.fapesp.br/oportunidades.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados