Quatro jovens da USP recebem prêmio internacional na área de medicina redox | AGÊNCIA FAPESP

Quatro jovens da USP recebem prêmio internacional na área de medicina redox Grupo integra o Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina, sediado no Instituto de Química e apoiado pela FAPESP (fotos: Redoxoma/divulgação)

Quatro jovens da USP recebem prêmio internacional na área de medicina redox

21 de novembro de 2022

Agência FAPESP* – Dois doutorandos e dois pós-doutorandos da Universidade de São Paulo (USP) receberam da Society for Redox Biology and Medicine (SfRBM) o “Travel Award” – prêmio concedido a estudantes e jovens pesquisadores que submetem resumos ao congresso anual promovido pela entidade. Os quatro jovens integram a equipe do Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina (Redoxoma), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP sediado no Instituto de Química (IQ-USP).

Entre os premiados estão os pós-doutorandos Litiele Cruz e Felipe Fuzita e os doutorandos Alex Inague e Rogério Aleixo Silva. Além de reconhecimento especial no encerramento da SfRBM 2022, que ocorreu no sábado (19/11), em Orlando (Estados Unidos), eles poderão se inscrever gratuitamente para a conferência de 2023 ou de 2024.

Litiele Cruz integra o grupo da professora Flavia Meotti e desenvolve a pesquisa “Laminin is the main brominated protein by hypobromous acid and peroxidasin in the extracellular matrix”. O trabalho apresentado no evento trata de uma enzima (peroxidasina) de matriz extracelular que produz ácido hipobromoso (HOBr) a partir do peróxido de hidrogênio e brometo.

Felipe Fuzita integra o grupo do professor Paolo Di Mascio e foi premiado com o SfRBM Journal Travel Award. Além da chance de apresentar seu trabalho no congresso, o pesquisador poderá enviar um artigo relacionado ao tema para um dos periódicos da SfRBM dentro de um ano. A pesquisa apresentada por Fuzita tem como título “A simple and direct approach for cysteine-based redox proteomics by differential isobaric labeling validated in human and rat aortic smooth muscle cells”. O projeto envolve um protocolo para marcação isobárica e quantificação de peptídeos diferencialmente oxidados mais eficiente que os utilizados atualmente.

Alex Inague, orientado pela professora Sayuri Miyamoto, apresentou o trabalho “7-Dehydrocholesterol protects membrane phospholipids from oxidation”, que busca compreender mecanismos que determinam a sensibilidade celular à ferroptose – um tipo de morte celular programada ainda pouco estudada e que envolve a participação de íons de ferro. Esses mecanismos podem ser explorados no desenvolvimento de terapias contra alguns tipos de câncer resistentes a outras formas de morte celular.

Rogério Aleixo Silva, orientando do professor Luis Netto no Instituto de Biociências da USP, apresentou o trabalho “LsfA, a 1-Cys Peroxiredoxin involved with Pseudomonas aeruginosa virulence: Structure, biochemical activity, and its influence in inflammation/resolution”. O estudo trata de uma enzima antioxidante (peroxirredoxina) envolvida com a virulência de uma superbactéria, a Pseudomonas aeruginosa.

* Com informações de Maria Célia Wider do Redoxoma, um CEPID da FAPESP.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados