Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia recebe financiamento da Chan Zuckerberg Initiative | AGÊNCIA FAPESP

Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia recebe financiamento da Chan Zuckerberg Initiative Estudo obterá informações genéticas de células do cérebro infantil utilizando tecnologias inovadoras e fará parte do Pediatric Networks do consórcio Human Cell Atlas (imagem: divulgação)

Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia recebe financiamento da Chan Zuckerberg Initiative

09 de setembro de 2021

Agência FAPESP* – Pesquisadores do Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia (BRAINN) estão entre os 17 grupos escolhidos em 14 países pela Chan Zuckerberg Initiative, uma das maiores instituições filantrópicas e de auxílio à ciência do mundo, para receber apoio à realização de projetos que podem ajudar a compreender, prevenir e tratar doenças da infância.

O BRAINN é um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP sediado na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (FCM-Unicamp).

O projeto selecionado será coordenado pelos pesquisadores Diogo Troggian Veiga, Fernando Cendes e Iscia Lopes Cendes, todos da Unicamp, além de Claudia Kleinman, da McGill University (Canadá). Dentre os 17 projetos agraciados pela instituição, este é o único que contará com pesquisas que estão sendo realizadas na América Latina.

O objetivo é criar um “atlas celular” do cérebro infantil por meio da análise genética de células de tecidos saudáveis de cinco regiões diferentes do órgão, obtidas de sete doadores.

Um aspecto importante do estudo é que as informações sobre a conformação da cromatina (complexo de DNA, RNA e proteínas presente no núcleo das células) e o transcriptoma (conjunto de moléculas transcritas pelos genes, como RNAs mensageiros, RNAs ribossômicos, RNAs transportadores e os microRNAs) serão obtidas por meio de tecnologias avançadas conhecidas como single-cell, que permitem investigar o que se passa em cada uma das células que compõem um tecido, em vez de analisar o tecido como um todo.

Todos os resultados serão livremente acessíveis pela comunidade de pesquisadores por meio do Human Cell Atlas, fornecendo referências que ajudarão cientistas do mundo todo a compreender em maior profundidade o cérebro infantil, como ele se desenvolve e como surgem e progridem doenças que afetam as crianças.

O Human Cell Atlas é um consórcio científico com mais de 2 mil membros em 75 países, com o objetivo de compartilhar informações no nível celular sobre o corpo humano e criar um “atlas” de todos os tipos de células dentre as mais de 37 trilhões que nosso corpo possui.

Os 17 projetos financiados pela Chan Zuckerberg Initiative formam a nova Pediatric Networks do Human Cell Atlas e os resultados de todos eles estarão disponíveis na plataforma.

No total, os estudos receberão mais de US$ 30 milhões em financiamento. A lista completa dos projetos aprovados pode ser vista pelo site da iniciativa.

* Com informações do site do BRAINN.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados