Bolsistas da FAPESP recebem prêmio internacional por pesquisas na área de materiais vítreos | AGÊNCIA FAPESP

Bolsistas da FAPESP recebem prêmio internacional por pesquisas na área de materiais vítreos João Vitor Campos e Ricardo Felipe Lancelotti, ambos do Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação em Vidros da UFSCar, estão entre os 17 jovens cientistas indicados para o International Year of Glass Future Fellows (foto: divulgação)

Bolsistas da FAPESP recebem prêmio internacional por pesquisas na área de materiais vítreos

05 de setembro de 2022

Agência FAPESP – O pesquisador de pós-doutorado João Vitor Campos e o doutorando Ricardo Felipe Lancelotti, ambos vinculados ao programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e bolsistas da FAPESP, estão entre os indicados para o International Year of Glass Future Fellows. A premiação teve o objetivo de incentivar a participação de jovens cientistas no 26º International Congress on Glass 2022 – evento realizado em julho, na Alemanha.

O congresso internacional teve 879 participantes de 37 países e mais de 500 trabalhos apresentados de forma oral e pôster. A Sociedade Alemã de Ciência e Tecnologia em Vidros, em conjunto com a Comissão Internacional em Vidros e com o Instituto de pesquisa Otto Schott da Friedrich Schiller University of Jena (Alemanha), selecionaram 17 pesquisadores para receber o prêmio, que foi oferecido para jovens cientistas ativos na comunidade de vidros que apresentassem excelência e criatividade em seus projetos.

Campos apresentou, de forma oral e em pôster, o trabalho intitulado “Flash sintering with concurrent crystallization of Li1.5Al0.5Ge1.5(PO4)3 glass-ceramics”, desenvolvido sob supervisão da professora da UFSCar Ana Candida Martins Rodrigues. No estudo, foi utilizado campo e corrente elétrica, método capaz de reduzir em até 90%, em comparação com as técnicas convencionais, o consumo energético do processo de cristalização com sinterização concorrente de vidros do sistema Li2O·Al2O3·GeO2·P2O5 (LAGP), com potencial aplicação em eletrólitos sólidos nas baterias de lítio.

Além da redução considerável no consumo energético, a técnica proposta é capaz de obter o material cristalino em questões de segundos, processo que convencionalmente demanda centenas de minutos. Essa promissora técnica deverá ser objeto de patente.

O trabalho de Lancelotti, “Structural relaxation dynamics of a silicate glass via changes in three properties”, orientado pelo professor da UFSCar Edgar Dutra Zanotto, também foi apresentado de forma oral e em pôster. Abordou o processo de relaxação estrutural de um vidro-modelo, o dissilicato de lítio.

O objetivo foi comparar a relaxação estrutural por meio da mudança em três propriedades: índice de refração, condutividade iônica e temperatura de transição vítrea. O conhecimento da cinética e do mecanismo de relaxação é importante para a ciência e tecnologia de materiais, porque estão relacionados à têmpera, à estabilidade e ao alívio das tensões térmicas residuais durante a fabricação de vidros.

A análise dos resultados mostrou que, apesar de a estrutura relaxar sempre do mesmo modo, a cinética de relaxação medida é fortemente dependente da propriedade analisada, resolvendo uma persistente controvérsia na literatura.

Tanto Campos como Lancelotti pertencem ao Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação em Vidros (CeRTEV), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiado pela FAPESP e sediado na UFSCar.

Além da homenagem, Campos recebeu € 2.500, desconto de 50% na inscrição do congresso, certificado de premiação e um ano de filiação à Comissão Internacional em Vidros. Lancelotti recebeu a isenção da inscrição do congresso e certificado de premiação.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados