Startups apoiadas pelo PIPE são selecionadas em programa da Votorantim Metais | AGÊNCIA FAPESP

Projetos da nChemi, Tau Flow Engenharia e Bioware estão entre os oito finalistas do Mining Lab, que busca soluções inovadoras em nanotecnologia e energias renováveis para a mineração

Startups apoiadas pelo PIPE são selecionadas em programa da Votorantim Metais

24 de fevereiro de 2017

Agência FAPESP – Três startups apoiadas pelo Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas empresas (PIPE) da FAPESP tiveram seus projetos selecionados entre os 115 que disputaram a primeira edição do programa Mining Lab da Votorantim Metais.

Com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e da aceleradora de startups Techmall, o programa busca conhecer, selecionar e desenvolver novos projetos e ideias que contribuam com soluções inovadoras na área de nanotecnologia e energias renováveis voltadas para a mineração.

As sete empresas responsáveis pelos oito projetos têm prazo até 1º de setembro para desenvolver os projetos selecionados. A Votorantim Metais poderá investir no desenvolvimento das soluções das empresas selecionadas, bem como estabelecer parcerias para busca de investimentos, compra ou distribuição dos produtos e serviços das startups.

A empresa nChemi, spin-off do Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) da FAPESP, teve selecionado projeto que utiliza a nanotecnologia para a recuperação de íons em águas residuais.

Constituída em 2015 com o apoio do PIPE, a nChemi desenvolve nanopartículas de óxido de metal com aplicação bastante diversificada em diversos setores industriais (leia mais sobre a nChemi em http://pesquisaparainovacao.fapesp.br/140).

A Tau Flow Engenharia, com sede em Curitiba e Campinas, teve dois projetos selecionados. O primeiro, na área de nanotecnologia, propõe o aumento do rendimento da recuperação das nanopartículas de zinco com uso da ciência da fluidodinâmica computacional (CFD). E o segundo, na área de eficiência energética, também utiliza CFD para modelar e simular o forno do óxido de zinco e para identificar os fatores que geram as perdas do processo, propondo soluções para o aumento da eficiência energética.

A Tau tem o apoio da FAPESP para integrar tecnologias de controle térmico com CFD para aumentar a produtividade em criadouros de animais. O projeto, em curso, prevê o desenvolvimento de um kit que será utilizado para a avaliação do ambiente térmico em criadouros.

Na área de Bioenergia, a Bioware Desenvolvimento de Tecnologia de Energia e Meio Ambiente, de Campinas, teve selecionado projeto de desenvolvimento de tecnologia de pirólise rápida de biomassa para obtenção de bio-óleo para transformação em biomassa padronizada líquida.

A empresa teve o apoio do PIPE para desenvolver um sistema contínuo de produção de briquetes de biomassa torrificados e, posteriormente, para o desenvolvimento de tecnologia para a produção de fertilizantes de liberação lenta à base de bio-óleo, obtidos no processo de pirólise rápida da biomassa canavieira e do capim-elefante.

Na primeira etapa do Mining Lab, dos 115 inscritos foram selecionados 18 projetos. A segunda etapa, de imersão, teve um cronograma de 17 dias em Belo Horizonte, Minas Gerais, com intensos treinamentos sobre os processos da VM e sobre visão de mercado, promovido pela aceleradora Techmall.

Também foram selecionadas pelo programa projetos das empresas Ecoterra (Bioenergia), Zeg Environmental (Bioenergia), Ecosoluções (Bioenergia) e Bchem Solutions (Bioenergia).

Para mais informações sobre o Programa Mining Lab Votorantim Metais acesse www.mininglab.com.br.

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados