Sindicato dos Engenheiros concede prêmio Personalidade de Tecnologia 2011 | AGÊNCIA FAPESP

O professor Shozo Motoyama, da USP, recebe o prêmio de João Carlos Gonçalves Bibbo, vice-presidente do Seesp (divulgação)

Sindicato dos Engenheiros concede prêmio Personalidade de Tecnologia 2011

05 de janeiro de 2012

Por Elton Alisson

Agência FAPESP – O Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Seesp) realizou a entrega do prêmio Personalidade de Tecnologia 2011. Em sua 25ª edição, o prêmio é concedido anualmente em homenagem ao Dia do Engenheiro – celebrado em 11 de dezembro – a profissionais que se destacaram em suas áreas de atuação.

Foram agraciados este ano seis profissionais nas categorias Educação, Inovação, Agricultura, História da Engenharia, Informática e Valorização Profissional.

Na categoria Educação, o homenageado foi Luiz de Queiroz Orsini. Professor emérito na Escola Politécnica (Poli) da Universidade de São Paulo (USP) e pró-reitor de graduação da mesma universidade de 1988 a 1990, Orsini teve uma atuação fundamental para a modernização do ensino da engenharia elétrica no Brasil.

Por meio do Programa Infraestrutura – FAP-Livros, a FAPESP apoiou a criação e a atualização do acervo bibliográfico da biblioteca de engenharia elétrica que leva o nome de Orsini, instalada na Poli.

Na categoria Inovação, o homenageado foi Vanderlei Salvador Bagnato. Professor do Instituto de Física de São Carlos (UFSC) da USP, foi responsável pela implantação do primeiro laboratório de átomos frios no Brasil. O pesquisador coordena o Centro de Óptica e Fotônica (Cepof) – um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP – e o Instituto Nacional de Óptica e Fotônica , que tem apoio da FAPESP e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Shozo Motoyama, professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, foi o homenageado na categoria História da Engenharia. Presidente do Centro de Estudos Nipo-Brasileiro e membro titular da Academia Paulista de História, Motoyama é autor de 31 obras, algumas das quais na área de engenharia.

“Eu me senti muito honrado por ter sido escolhido para receber esse prêmio, concedido pela primeira vez à área da história da engenharia, pelo significado que ele tem ao mostrar que os engenheiros estão se inserindo na história e que estão vendo a importância de se registrar o passado para construir o futuro”, disse à Agência FAPESP.

Atualmente, Motoyama está escrevendo um livro sobre os 50 anos da FAPESP, que serão completados em 2012.

Baseado em pesquisas documentais, orais e de imagens, o livro será dividido em dois volumes. O primeiro, que deverá ser publicado em maio de 2012, abordará os últimos 25 anos da FAPESP e complementará outro livro organizado por Motoyama que aborda os primeiros 25 anos da FAPESP – FAPESP, uma história de política científica e tecnológica lançado em 1999.

Já o segundo volume do livro sobre a FAPESP que o pesquisador está editando e que deverá ser publicado em setembro de 2012 reunirá depoimentos de 50 pessoas relacionadas à Fundação.

“Será um livro de memórias, reunindo depoimentos históricos de pessoas que conhecem muito bem a FAPESP e que acompanharam as mudanças pelas quais passou ao longo de sua história”, explicou Motoyama.

Lucas Antonio Moscato, professor da Poli-USP, foi premiado na categoria Informática e Aloizio Mercadante Oliva, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, na categoria Valorização Profissional.

Antonio Mauro Saraiva, também professor da Poli-USP, foi o ganhador na categoria Agricultura. Saraiva criou o laboratório de automação agrícola na Poli e é assessor técnico da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO-ONU) e do Ministério do Meio Ambiente.

Saraiva foi um dos pesquisadores principais do Projeto Temático Biodiversidade e uso sustentável de polinizadores, com ênfase em abelhas Meliponini, realizado com apoio da FAPESP.

Mais informações: www.seesp.org.br

Assuntos mais procurados