Pesquisa nas nuvens | AGÊNCIA FAPESP

NSF e Microsoft fazem parceria para oferecer recursos de computação em nuvens a cientistas, com objetivo de estimular o desenvolvimento de pesquisas e de ferramentas para trabalho coletivo

Pesquisa nas nuvens

10 de fevereiro de 2010

Agência FAPESP – A National Science Foundation (NSF) e a Microsoft anunciaram um acordo de cooperação para oferecer a pesquisadores e a grupos de pesquisa nos Estados Unidos acesso gratuito a recursos computacionais avançados baseado em computação em nuvens (cloud computing).

Essa tecnologia consiste em compartilhar ferramentas computacionais pela interligação de sistemas na internet, em vez de ter essas ferramentas localmente (em servidores internos, por exemplo), permitindo o acesso remoto, de qualquer lugar.

Os usuários do sistema serão selecionados entre os pesquisadores apoiados pela NSF. O programa pretende oferecer aplicações poderosas por meio dos serviços de computação em nuvens da Microsoft, com o objetivo de ampliar as capacidades de pesquisa e de colaboração entre grupos, acelerando o processo científico.

A empresa oferecerá aos projetos selecionados pela NSF acesso ao serviço Windows Azure por um período de três anos. Também fornecerá apoio técnico para que os cientistas consigam rapidamente integrar a tecnologia de nuvens em suas pesquisas.

Desenvolvedores da empresa e pesquisadores da Microsoft Research trabalharão com os cientistas apoiados pela NSF de modo a desenvolver ferramentas, aplicações e bancos de dados que possam ser compartilhados com a comunidade acadêmica.

Outro objetivo do programa é o próprio desenvolvimento da nova tecnologia de computação compartilhada, considerado um dos tópicos mais quentes no setor na atualidade. Como os modelos de computação em nuvens atuais são difíceis de usar, o programa pretende criar ferramentas de uso simplificado, ainda que complexas em seu potencial.

“A computação em nuvens pode transformar a maneira como as pesquisas são conduzidas, acelerando a exploração, as descobertas e os resultados científicos. O programa permitirá também que os pesquisadores explorem dados multidisciplinares, ricos e diversos, em grande escala”, disse Dan Reed, vice-presidente para estratégias tecnológicas da Microsoft.

Os cientistas trabalham em um mundo cada vez mais dominado por dados e analisar e sintetizar essa massa de informações é um dos principais desafios da atualidade.

O novo programa pretende desenvolver ferramentas poderosas, mas fáceis de usar, que poderão ser usadas por qualquer pesquisador para minerar e combinar diversos conjuntos de dados, aplicando os resultados em seus estudos.

“Estamos entrando em uma nova era da ciência. Uma era baseada na exploração dirigida pelos dados. E a nova geração de tecnologias de computação, como a própria computação em nuvens, cria oportunidades sem precedentes para descobertas”, disse Jeannette Wing, diretora assistente da divisão de Ciência da Computação e Informação da NSF.

Mais informações:

 

Assuntos mais procurados