Para entender a matéria | AGÊNCIA FAPESP

Estudantes de ensino médio participam de evento internacional de física de altas energias que reúne cientistas de 22 países (foto: LHC/Cern)

Para entender a matéria

24 de fevereiro de 2010

Por Alex Sander Alcântara

Agência FAPESP – Em São Paulo, 44 alunos do ensino médio estão tendo oportunidade de conhecer mais de perto noções atualizadas e complexas sobre a composição da matéria, partículas elementares e suas interações. O grupo está entre os mais de 6 mil de diversos países que participam até o dia 5 de março do programa MasterClass: Trabalhando com a Física de Altas Energias.

Os estudantes paulistas do ensino médio terão seu segundo dia de atividades nesta quarta-feira (24/2). Na cidade de São Paulo, o evento contará com a presença de estudantes e professores do Colégio Dante Alighieri, da Escola Vera Cruz, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia e da Escola Nossa Senhora das Graças. As atividades ocorrerão no Instituto de Física Teórica (IFT) da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Por meio de videoconferência, com início às 12h30 (horário de Brasília), os participantes se juntarão a colegas da Bélgica, França, Grécia, Noruega e Portugal para, ao lado de cientistas de 90 universidades e institutos de pesquisa de 22 países, analisar dados de colisões de partículas elementares produzidos no Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN).

O MasterClass, organizado pelo sexto ano consecutivo pelo European Particle Physics Outreach Group, permite que jovens de 15 a 19 anos aprendam sobre o mundo das partículas subatômicas por meio de apresentações acessíveis.

No Brasil, o programa tem apoio do Centro Regional de Análise de São Paulo (Sprace), implantado em 2003 com apoio da FAPESP, e do grupo de Física de Altas Energias da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Esses pesquisadores participam ativamente da pesquisa científica em física de altas energias como membros da colaboração Compact Muon Solenoid do CERN

De acordo com Sandra Padula, pesquisadora no IFT, o encontro possibilita que o investimento público em pesquisa seja divulgado e conhecido de forma mais ampla e sistemática.

“É uma maneira de informar aos alunos sobre todo o desenvolvimento da física desde o século 19. O objetivo é fazer com que eles tenham um pouco de noção de como é constituída a estrutura da matéria. Aquilo que se conhece na escola regular termina na física atômica”, disse à Agência FAPESP.

“Sabemos que o átomo tem estrutura, que dentro dele há elétrons e o núcleo. Por sua vez, dentro do núcleo há prótons e nêutrons. E dentro desses, já se descobriu que existem quarks e gluons. É nesse universo que os estudantes do programa mergulham” , disse.

Nesta terça-feira (23/2), alunos e professores assistiram aos seminários “A estrutura elementar da matéria”, “Os aceleradores de partículas e as experiências do CERN” e “Introdução preliminar à análise de dados”, visitaram o Sprace e conheceram o Programa de Integração da Capacidade Computacional da Unesp (GridUnesp).

Segundo Sandra, foi preciso limitar a participação de alunos e professores a dez por instituição. “Como dependemos do número de computadores disponíveis, tivemos de fazer um sorteio pelo número de inscritos”, disse.

Entendendo o LHC

Os estudantes encaram jogos e atividades feitas a partir de dados obtidos no LHC (Large Hadron Collider), o maior acelerador de partículas do mundo, instalado na fronteira entre França e Suíça e que reúne mais de 140 centros de computação científica em 35 países.

“Eles examinam resultados experimentais de colisões entre elétrons e pósitrons, que viajam a uma velocidade próxima à velocidade da luz. São usados programas de computador para analisar dados gravados por experimentos do Large Electron Positron (LEP), que operou durante a década de 1990 e que agora dá lugar ao LHC”, explicou Sandra.

A pesquisadora destaca que os estudantes estão tendo a oportunidade de ter uma visão panorâmica sobre estudos de ponta, além da troca de experiências com colegas de outros países.

“Por videoconferência, eles podem comparar e discutir os resultados de suas análises com participantes de outros países, da mesma forma que físicos de altas energias fazem cotidianamente em suas colaborações internacionais”, destacou.

Nos dias 26 e 27 de fevereiro será a vez dos alunos de ensino médio do Rio de Janeiro. O evento será realizado no Prédio do Instituto de Física da Uerj, bloco A, sala 3017, localizado no Pavilhão João Lira Filho.

Mais informações: www.sprace.org.br/workshops/MasterClass-2010

Informações sobre o evento no Rio de Janeiro: marcia.begalli@cern.ch (professora Márcia Begalli).
 

Assuntos mais procurados