Missão de gravidade | AGÊNCIA FAPESP

Agência Espacial Europeia anuncia para março o lançamento do satélite Goce, que tem o objetivo ampliar o conhecimento sobre a gravidade terrestre (divulgação)

Missão de gravidade

11 de fevereiro de 2009

Agência FAPESP – A Agência Espacial Europeia (ESA) programou para o dia 16 de março o lançamento do satélite Goce (sigla em inglês para Gravity field and steady-state Ocean Circulation Explorer), que tem a missão de ajudar a estudar de maneira inédita a gravidade da Terra.

O satélite de 5 metros de comprimento está no Cosmodromo Plesetsk, no norte da Rússia, desde outubro, mas teve seu lançamento adiado por problemas técnicos com o foguete Rockot.

O Goce é o primeiro de uma série de satélites de observação chamados de Exploradores da Terra. Segundo a ESA, são missões científicas de pequeno porte desenvolvidas para responder a uma ampla gama de questões ligadas às geociências.

O satélite também servirá para demonstrar novas tecnologias espaciais. O próprio desenho é inovador, bem mais alongado do que os satélites tradicionais. A órbita estará a apenas 250 quilômetros da superfície terrestre.

Será a primeira missão a empregar o conceito de gradiometria no espaço. O conceito envolve medir as diferenças em aceleração em distâncias curtas em um conjunto de sensores a bordo do veículo. Os sensores respondem a minúsculas variações no empuxo gravitacional terrestre à medida que percorre seu caminho orbital.

Segundo a ESA, os dados obtidos pelo Goce permitirão alcançar um novo nível de compreensão a respeito de uma das forças fundamentais da natureza. Entender melhor como a gravidade funciona é muito importante para compreender o próprio funcionamento do planeta.

Mais informações: www.esa.int/goce
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados