Johnson & Johnson promove desafio de inovação para COVID-19 e tuberculose | AGÊNCIA FAPESP

Iniciativa busca propostas inovadoras para ideias criativas e fáceis de implementar, que possam começar a ter impacto imediato. Inscrições até 19 de maio (imagem: Bacilo de Koch/Wikimedia Commons)

Johnson & Johnson promove desafio de inovação para COVID-19 e tuberculose

13 de maio de 2020

Agência FAPESP – A equipe Global de Saúde Pública da Johnson & Johnson e a Johnson & Johnson Innovation (JLabs) lançaram o Drug-Resistant Tuberculosis Lifeline QuickFire Challenge. A iniciativa busca propostas inovadoras para ideias criativas e fáceis de implementar, que possam começar a ter impacto imediato.

As submissões devem abordar a continuidade do tratamento de tuberculose resistente a medicamentos em ambientes fortemente impactados pela COVID-19 e pelas restrições de mobilidade.

O desafio avaliará ideias que abordem um ou mais dos seguintes temas: “Remote consultations and follow-up”, “Home-based and/or digital patient support for sustaining tubercolosis treatment adherence & completion”, “Access to care for adverse events without leaving the home” e “Connections to support mental health, nutrition, address social isolation, and peer-to-peer support as well as social benefits”.

Até cinco candidatos com as melhores ideias, tecnologias ou possíveis soluções dividirão financiamento de um total de US$ 250 mil. Os premiados também terão a oportunidade de trabalhar com especialistas da Johnson & Johnson para ajudar a dar vida às suas ideias.

As soluções enviadas serão avaliadas pela viabilidade e praticidade, pela abordagem centrada no paciente, pela capacidade de implementação rápida para chegar aos pacientes e pelo potencial de longo prazo.

As submissões devem ser feitas pelo site da JLabs até 19 de maio de 2020. O anúncio do prêmio será feito no mês de junho.

Mais informações: https://bit.ly/2YSja0R.
 

 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados