Iniciativa Brasileira de Reprodutibilidade recebe inscrições de laboratórios | AGÊNCIA FAPESP

Projeto é voltado para laboratórios que queiram formar uma rede nacional para replicar experimentos científicos publicados em artigos brasileiros na área biomédica

Iniciativa Brasileira de Reprodutibilidade recebe inscrições de laboratórios

07 de novembro de 2018

Agência FAPESP – A Iniciativa Brasileira de Reprodutibilidade está com inscrições abertas até 15 de novembro de 2018 para laboratórios que queiram formar uma rede nacional para replicar experimentos científicos publicados em artigos brasileiros na área biomédica.

Segundo o Instituto Serrapilheira, trata-se de um projeto inédito para estimar o quanto a pesquisa biomédica produzida no Brasil é reprodutível. O projeto convida laboratórios de todo o país a participar replicando experimentos por meio do uso de técnicas comuns.

No cadastro, os laboratórios interessados em colaborar devem indicar em quais técnicas, entre as 10 listadas como candidatas ao projeto de replicação, eles têm especialidade, de modo a formar grupos de pesquisadores.

O plano é formar a rede de colaboradores até o final deste ano e, ao longo de 2019, estabelecer os protocolos a serem seguidos e iniciar os experimentos, que devem ser concluídos até 2021. No final do mapeamento, todos os participantes serão coautores dos trabalhos.

O cadastro de laboratórios pode ser feito no site da Iniciativa Brasileira de Reprodutibilidade.

Mais informações: https://serrapilheira.org/projeto-vai-estimar-a-reprodutibilidade-da-ciencia-brasileira/.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados