Ciência Aberta debate bioenergia e outras opções para o Brasil | AGÊNCIA FAPESP

<i>Ciência Aberta</i> debate bioenergia e outras opções para o Brasil Terceiro episódio de 2019, com a participação de Glaucia Mendes Souza, Luiz Augusto Horta Nogueira e Rubens Maciel Filho, será lançado no dia 15 de maio (foto: Felipe Maeda / Agência FAPESP)

Ciência Aberta debate bioenergia e outras opções para o Brasil

14 de maio de 2019

Agência FAPESP – O uso maciço de energias de origem fóssil – inicialmente carvão e depois petróleo – abasteceu a primeira e a segunda revoluções industriais. Mas, na década de 1970, a crise do petróleo mostrou, de forma eloquente, que as fontes de energias fósseis eram finitas e poderiam estar esgotadas em um futuro relativamente próximo. A busca por fontes renováveis colocou-se na ordem do dia como opção para o desenvolvimento sustentável.

"Bioenergia e outras opções para o Brasil" é o tema do terceiro episódio do programa Ciência Aberta de 2019.

Entre os convidados estão Glaucia Mendes Souza, professora titular do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP) e coordenadora do Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN), Luiz Augusto Horta Nogueira, professor titular do Instituto de Recursos Naturais da Universidade Federal de Itajubá (Unifei) e consultor de agências das Nações Unidas, e Rubens Maciel Filho, professor da Faculdade de Engenharia Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador do Centro de Inovação em Novas Energias (Cine).

Ciência Aberta é apresentado por Alexandra Ozorio de Almeida, diretora de redação da revista Pesquisa FAPESP

O novo episódio será lançado nesta quarta-feira (15/05) e poderá ser visto pelo site do programa, pela página da Agência FAPESP no Facebook e no YouTube e pelo site do TV Folha.  

Mais informações: www.fapesp.br/ciencia-aberta
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados