Físico brasileiro é premiado pela TWAS | AGÊNCIA FAPESP

Nathan Berkovits, da Unesp, coordenador do Projeto Temático FAPESP "Pesquisa e ensino em teoria de cordas", ganha Prêmio Física de 2009 da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (foto: arq.pessoal)

Físico brasileiro é premiado pela TWAS

06 de novembro de 2009

Por Fábio Reynol

Agência FAPESP – Nathan Jacob Berkovits, professor titular do Instituto de Física Teórica (IFT) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), recebeu o Prêmio de Física de 2009 da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS).

A premiação foi conquistada por causa de seus estudos da teoria das supercordas. O físico desenvolveu uma formulação matemática batizada de “espinores puros”, que, desde que foi apresentada em 2000, tem facilitado a realização de cálculos na teoria das supercordas.

Berkovits coordena o projeto “Pesquisa e ensino em teoria de cordas”, apoiado pela FAPESP por meio da modalidade Auxílio à Pesquisa – Projeto Temático.

A teoria das cordas é uma tentativa de explicar todas as partículas e forças fundamentais da natureza – gravidade, eletromagnetismo e as forças nucleares fortes e fracas – em uma única teoria, por meio da modelagem dessas forças em vibrações de minúsculas cordas supersimétricas. “A obtenção de uma descrição unificada de todas as forças fundamentais na natureza é um sonho antigo dos físicos teóricos”, conta Berkovits.

Supersimetria é uma simetria que relaciona uma partícula fundamental com determinado valor de spin com outras partículas com spins diferentes – para cada bóson existiria um férmion correspondente com a mesma massa e mesmos números quânticos internos. Não há, até o momento, evidências diretas para a existência de supersimetria.

A teoria das supercordas também tem outras aplicações importantes. “Ela tem sido empregada recentemente na física de íons pesados, em matemática e há tentativas também em supercondutividade”, disse o físico à Agência FAPESP.

Segundo o físico, os estudos que serão feitos no LHC, maior acelerador de partículas do mundo, instalado pela Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (Cern) na fronteira entre França e Suíça, podem trazer novidades para a teoria das cordas.

“É difícil dizer, pois tudo dependerá do resultado desses trabalhos. Se encontrarem a supersimetria, por exemplo, será uma importante comprovação da teoria, mas ainda não se sabe o que poderá ser encontrado” , disse Berkovits, que espera que o prêmio sirva de estímulo a essa área de pesquisa no Brasil.

Grupos pela internet

Nascido nos Estados Unidos, Berkovits fez graduação e mestrado na Universidade Harvard e doutorado na Universidade da Califórnia em Berkeley. Fez pós-doutorado na Universidade de São Paulo, no King's College London, nas universidades dos Estados de Nova York e de New Jersey (Rutgers) e na Universidade de Chicago. Desde 1997 está no IFT da Unesp, tendo se naturalizado brasileiro em 2002. É um dos maiores especialistas no mundo na teoria das supercordas.

Quando chegou ao país, em 1994, Berkovits lembra de contar nos dedos os pesquisadores que se dedicavam a esse tema por aqui. Hoje, há vários grupos brasileiros que se debruçam sobre o assunto, embora ainda não sejam numerosos em comparação a outras áreas de pesquisa em física, segundo admite o pesquisador.

Apesar de ter sido apresentada na década de 1970, a teoria das supercordas encontrou um maior número de pesquisadores interessados apenas a partir das últimas duas décadas. “Com a internet, ficou mais fácil a interação entre os grupos e os avanços estão bem mais rápidos”, disse o físico. Ele conta que o tema tem atraído especialmente pesquisadores jovens.

Berkovits dividirá o prêmio de US$ 15 mil com Hongjun Gao, da Academia Chinesa de Ciências – que pesquisa a formação da estrutura quântica. O anúncio dos ganhadores foi feito no dia 19 de outubro em Durban, na África do Sul.

Fundada em 1983 em Trieste, na Itália, a Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento foi lançada oficialmente pela Organização das Nações Unidas dois anos depois com o objetivo de promover a capacidade e a excelência científica nos países em desenvolvimento e produzir ciência de modo sustentável.

Mais informações sobre o prêmio: http://twas.ictp.it
 

Assuntos mais procurados