1 FAPESP anuncia 17 novos CEPIDs com investimentos de US$ 680 milhões | AGÊNCIA FAPESP

FAPESP anuncia 17 novos CEPIDs com investimentos de US$ 680 milhões | AGÊNCIA FAPESP

Em um dos maiores investimentos em pesquisa já feitos no Brasil, Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão em diversas áreas do conhecimento reunirão mais de 600 cientistas do Brasil e do exterior (FAPESP)

FAPESP anuncia 17 novos CEPIDs com investimentos de US$ 680 milhões

15 de maio de 2013

Por Claudia Izique

Agência FAPESP – A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) divulgou os 17 novos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs). Os Centros, que reúnem 499 cientistas do Estado de São Paulo e 68 de outros países – na condição de pesquisadores principais ou associados –, serão custeados pela FAPESP e pelas instituições-sede por meio de financiamento de pesquisadores, pessoal técnico e de apoio e de investimentos em infraestrutura, por um período de 11 anos.

O investimento total estimado é de US$ 680 milhões, sendo US$ 370 milhões da FAPESP e US$ 310 milhões em salários pagos pelas instituições-sede aos pesquisadores e técnicos. Os Centros contarão ainda com fundos adicionais aportados por indústrias parceiras e por outras agências de fomento à pesquisa. Trata-se de um dos maiores investimentos em programa de pesquisa apoiado por agência de fomento já anunciados no Brasil.

“O financiamento de grande porte e de longo prazo permite ousar nos objetivos de pesquisa, garante a consolidação da equipe e, ao mesmo tempo, confere maior escala à pesquisa científica e tecnológica no Estado”, afirma Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP. Cada um dos CEPIDs será apoiado por um comitê consultivo internacional e os resultados e planos de pesquisa terão sua continuidade avaliada pela FAPESP no 2º, 4º e 7º anos.

O processo de seleção mobilizou 150 revisores brasileiros e estrangeiros e um comitê internacional formado por 11 cientistas convidados, além dos comitês internos da FAPESP. As 90 propostas, apresentadas no âmbito do Programa CEPID, foram avaliadas pelo mérito científico, ousadia, originalidade, competitividade internacional e pela qualificação das equipes e suas lideranças.

As 17 propostas aprovadas envolvem os seguintes temas de pesquisa: alimentos e nutrição; vidros e cerâmica; materiais funcionais; neurociência e neurotecnologia; doenças inflamatórias; biodiversidade e descoberta de novas drogas; toxinas, resposta imune e sinalização celular; neuromatemática; ciências matemáticas aplicadas à indústria; obesidade e doenças associadas; terapia celular; estudos metropolitanos; genoma humano e células-tronco; engenharia computacional; processos oxidantes e antioxidantes em biomedicina; violência; óptica, biofotônica e física atômica e molecular.

As equipes dos CEPIDs têm composição multidisciplinar e são formadas por pesquisadores principais, associados e visitantes, pós-doutores, estudantes de pós-graduação e técnicos, com apoio de pessoal qualificado para a administração e gestão.

A característica mais importante dos CEPIDs é a multiplicidade de sua missão. Além de desenvolver investigação fundamental ou aplicada, focada em temas específicos e objetivos, os Centros devem procurar ativamente oportunidades para contribuir com a inovação por meio do desenvolvimento de meios eficazes de transferência de tecnologia. São também responsáveis por oferecer atividades de extensão voltadas para o ensino fundamental e médio e ao público em geral. Os projetos preveem o envolvimento de estudantes e professores em atividades de investigação e formação e incluem ações de divulgação da ciência.

Novo paradigma para a ciência

O Programa CEPID foi iniciado pela FAPESP em 2000, com suporte a 11 centros de pesquisa no período de 2001 a 2013. Todos atingiram os objetivos propostos em seus planos de pesquisa, inovação e difusão, constituindo, ao longo do período de financiamento, plataformas translacionais de pesquisa, desde a ciência básica até a aplicação do conhecimento.

Em 2011, foi anunciada uma segunda chamada de pesquisa, por meio da qual foram selecionados os 17 CEPIDs agora anunciados. Oito dos 11 CEPIDs de 2000 ampliaram o seu escopo de investigação e tiveram novos planos de pesquisa, inovação e difusão aprovados no edital de 2011.

O Centro de Estudos da Metrópole (CEM), por exemplo, tendo se consolidado como um centro de referência na observação georreferenciada de cidades, ampliará o foco de investigação para analisar o papel das políticas do Estado na redução da pobreza e da desigualdade.

Os novos Centros, selecionados no edital de 2011, iniciam as atividades em 2013. Veja abaixo a lista dos novos CEPIDs apoiados pela FAPESP e escopo de atuação.

Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos
O Centro realizará desde a prospecção biológica da flora brasileira para a identificação e seleção de compostos com atividades antiparasitária, antibacteriana e anticancerígena até análise pré-clínica in vitro e in vivo de compostos candidatos, além de estudos de toxicologia e de farmacocinética, com o objetivo de desenvolver medicamentos patenteáveis. Atuará em colaboração com a indústria farmacêutica e com institutos de pesquisa do setor da saúde, desenvolverá programa para estudantes de graduação e pós-graduação e promoverá atividades para alunos do ensino fundamental e médio, além da educação de professores.

Centro de Pesquisa em Toxinas, Resposta Imune e Sinalização Celular
O Centro desenvolverá estudos sobre os mecanismos bioquímicos, moleculares e celulares de toxinas com potenciais terapêuticos, com o objetivo de estabelecer provas de conceito com base em análises de redes de sinalização molecular. A expectativa é transferir para a indústria os resultados da pesquisa, por meio de processo mediado pelo Escritório de Transferência de Tecnologia do Instituto Butantan. Está prevista a implementação de atividades relacionadas à educação e difusão do conhecimento como, por exemplo, a exploração da vocação educativa dos museus do Instituto Butantan. 

Centro de Terapia Celular 
O Centro de Terapia Celular terá foco em pesquisa básica e aplicada em células-tronco, num ambicioso programa multidisciplinar visando ao estudo das características moleculares, celulares e biológicas de células normais e patológicas e a avaliação crítica do seu potencial uso terapêutico. O objetivo é gerar linhagens brasileiras a serem utilizadas em estudos pré-clínicos, investigar os mecanismos envolvidos no estado de pluripotência, assim como em doenças como disceratose congênita, anemia de Fanconi, hemofilia A e doença de Parkinson. Todos os estudos visam à produção em grande escala de células-tronco, de forma a permitir a sua utilização clínica potencial. O Centro tem projeto sólido de transferência de tecnologia centrado na melhoria da saúde pública e conta com um programa de educação especialmente focado em educação de ciências, iniciado em 2000, na chamada do Programa CEPID.

Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica 
O Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica realiza pesquisa básica em física de matéria fria, plasmônica e biofotônica, mirando também o desenvolvimento de aplicações inovadoras e práticas como, por exemplo, biossensores ultrassensíveis e diagnóstico e tratamento de doenças, entre outros. O objetivo é associar o conhecimento científico à inovação tecnológica, promover a instalação de start-ups e colaborar com iniciativas de empresas já existentes. O Centro – constituído na primeira chamada do Programa CEPID, em 2000 – conta com um canal de TV em operação 24 horas por dia e com uma gama diversificada de programas de educação que abrangem todos os níveis de ensino. 

Centro de Estudos da Metrópole
O Centro de Estudos da Metrópole tem como objetivo central compreender o papel das políticas públicas e das instituições nos processos de crescimento econômico e de redução da pobreza e da desigualdade social. Formado por demógrafos, cientistas políticos, sociólogos, geógrafos e antropólogos, o Centro tem uma agenda de pesquisa organizada em quatro linhas de ação: a análise da relação entre mudança, democracia e desigualdade no Brasil nos últimos 50 anos; o impacto da políticas públicas na redução da pobreza; o papel das instituições políticas; e as diferentes formas de governança em áreas urbanas. Constituído como CEPID na primeira chamada do programa, em 2000, o Centro oferece dados e assistência técnica em políticas públicas às instituições, além de disponibilizar ferramentas de geoprocessamento e banco de dados à comunidade acadêmica, escolas, entre outros.

Centro de Pesquisa em Alimentos 
O Centro de Pesquisa em Alimentos será o primeiro centro de pesquisa focado em alimentação e nutrição no Brasil. Organizado em quatro linhas de investigação – sistemas biológicos em alimentos; alimentação, nutrição e saúde; segurança e qualidade dos alimentos; e novas tecnologias e inovação –, o Centro terá a cooperação de setores da indústria de alimentos, governo e outras instituições de pesquisa. Por meio de cursos, web, TV, entre outros, o Centro comunicará os resultados de pesquisa para públicos distintos: comunidade científica, profissionais de nutrição, indústria, governo e sociedade em geral. Desenvolverá, ainda, um site interativo que dará acesso a um banco de dados com diferentes níveis de complexidade e que incluirá material didático para estudantes.

Centro de Pesquisa, Educação e Inovação em Vidros 
O Centro de Pesquisa, Educação e Inovação em Vidros terá como meta desenvolver materiais vidrocerâmicos com novas funcionalidades como, por exemplo, alta resistência mecânica e condutividade elétrica, atividade biológica, óptica ou catalítica, entre outras. Os seus laboratórios concentrarão esforços na investigação de materiais ópticos (óculos de laser), materiais para reforço estrutural de uso odontológico, dispositivos para armazenamento de energia (eletrólitos e selantes para alta temperatura) e sistemas cataliticamente ativos. A agenda de pesquisa será complementada por atividades de educação e pelo desenvolvimento e transferência de tecnologia.

Centro de Pesquisa em Matemática Aplicada à Indústria
O Centro de Pesquisa em Matemática Aplicada à Indústria tem como objetivo transferir conhecimento matemático para outras áreas da ciência e da indústria. A principal estratégia do Centro será a construção de uma infraestrutura robusta no que diz respeito aos recursos humanos, equipamentos computacionais avançados, oportunidades de colaboração e outras facilidades, a fim de promover a cooperação interdisciplinar com a indústria e, mais especificamente, com os setores de manufatura, governo e serviços.

Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco 
O Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco realizará pesquisa sobre genética e instabilidade genômica associadas ao envelhecimento e a doenças degenerativas, sobre mecanismos epigenéticos envolvidos na manifestação dessas doenças e sobre a variabilidade fenotípica de indivíduos com mutações de doenças mendelianas. O Centro desenvolverá também projeto por meio do qual irá comparar a variação do genoma e funcionamento do cérebro de indivíduos brasileiros saudáveis com mais de 80 anos e com um grupo de pessoas com mais de 60 anos. Está previsto o desenvolvimento de kits para o diagnóstico de doenças raras e o estabelecimento de parcerias com empresas start-ups de biotecnologia, além de programas de educação e difusão de ciência. O Centro ampliará o escopo de investigação do Centro de Pesquisa do Genoma Humano, apoiado no Programa CEPID em 2000, que teve como foco o estudo de expressão e diferenciação gênica em distúrbios genéticos complexos.

Instituto de Pesquisa sobre Neurociências e Neurotecnologia 
O Instituto de Pesquisa sobre Neurociências e Neurotecnologia investigará os mecanismos básicos da epilepsia e do acidente vascular cerebral, assim como as lesões associadas. A pesquisa tem aplicações relacionadas à prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação e contribuirá para a melhor compreensão da função cerebral. As investigações envolvem as áreas de genética, neurobiologia, farmacologia, neuroimagem, ciências da computação, robótica, física e engenharia.

Centro para o Estudo da Violência 
O Centro para o Estudo da Violência vai estudar a construção da legitimidade das instituições nas relações entre os cidadãos e funcionários públicos, tendo como foco a administração municipal, escola, centro de saúde, serviços de polícia e o aparato de justiça locais. A pesquisa envolverá comparações internacionais sobre temas como polícias e tribunais, habitação, uso do espaço público etc. Constituído como CEPID na primeira chamada do programa, em 2000, o Centro será parceiro de instituições como o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mídia, organizações não governamentais, entre outros, para troca de informações estratégicas, metodologia de trabalho etc. Estão previstos a organização de um Centro de Debate Permanente sobre Violência, Direitos Humanos e Democracia em ambientes urbanos, além de workshops, seminários internacionais e cursos.

Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades
O Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades terá como desafio buscar soluções para a obesidade, doença que resulta de um desequilíbrio entre a ingestão calórica e o gasto energético, geralmente associado a diabetes, hipertensão, aterosclerose e alguns tipos de câncer. Apesar do grande avanço na caracterização dos mecanismos de controle da fome e da termogênese, a complexidade dos circuitos neurais e as dificuldades anatômicas para os estudos do hipotálamo humano dificultam o tratamento da obesidade. Além de compreender os seus mecanismos, o Centro buscará novas abordagens farmacológicas, nutricionais e físicas para o problema. Investirá, ainda, em programas de orientação preventiva para alunos do ensino médio e idosos e em métodos de triagem para a detecção de doenças associadas, em estreita relação com a indústria.

Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias 
O Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias investigará os mecanismos subjacentes às doenças inflamatórias com o objetivo de realizar pesquisa integrativa e translacional para identificar novos alvos terapêuticos. A pesquisa envolverá a triagem molecular de alto desempenho (HTS), modelagem de doenças in vivo e in vitro e síntese química, assim como a descoberta de novas moléculas naturais em plantas e na saliva de artrópodes. Selecionados os fármacos e biofármacos potenciais, o Centro protegerá a propriedade intelectual e coordenará estudos toxicológicos pré-clínicos e clínicos. As etapas do desenvolvimento de potenciais drogas serão realizadas em parceria com empresas públicas e privadas. O Centro promoverá, ainda, ações de divulgação de informações para a comunidade científica e para o público em geral e também para os pacientes com doenças inflamatórias.

Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina 
O Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina é uma rede multidisciplinar de pesquisadores focados na investigação de estratégias antioxidantes eficazes e biomarcadores de estresse oxidativo com grande potencial de aplicação tecnológica. O Brasil já tem liderança internacional em algumas áreas como perfumes, cosméticos e bioenergia, mas ainda não é competitivo nos mercados farmacêuticos, de dispositivos e diagnósticos médicos, de serviços ecológicos, entre outros. O Centro contará também com um laboratório central (Redoxome Analysis Platform), no Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP), para fornecer ferramentas analíticas no estado da arte para a avaliação de processos redox abertos para uso de pesquisadores. O Centro oferecerá cursos para estudantes de graduação e pós-graduação e de formação de professores, disponibilizará em site materiais complementares para aulas de ciências e atividades experimentais e promoverá atividades de iniciação científica para alunos de ensino médio.

Centro de Pesquisa em Ciência e Engenharia Computacional 
O Centro de Pesquisa em Ciência e Engenharia Computacional desenvolverá e aplicará técnicas de modelagem computacionais avançadas para solucionar problemas de fronteira em engenharia da computação e ciências. As investigações têm aplicação nas áreas de nanomateriais, sistemas biomoleculares complexos, de interesse para a saúde humana e bioenergia, bioinformática, materiais particulados, porosos e geofísica computacional, entre outros. O Centro abrigará uma divisão de Transferência de Tecnologia e contará também com uma unidade de Educação, Ciência e Divulgação, responsável pela organização e execução de atividades baseadas especialmente no desenvolvimento de materiais de e-learning voltados para professores e alunos da rede pública de ensino.

Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática 
O Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática terá como objetivo integrar a modelagem matemática com a pesquisa básica e aplicada à neurociência que, cada vez mais, requer ferramentas matemáticas para analisar a enorme massa de dados gerados por recursos experimentais. Matemática é a ponte que pode integrar observações e explicações. Na área de transferência de tecnologia e inovação, o Centro vai se concentrar em produtos demandados por programas de saúde pública em neurorreabilitação, incluindo a concepção e análise de banco de dados padronizado e o desenvolvimento de ferramentas para apoiar o diagnóstico clínico, decisão e acompanhamento.

Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento de Materiais Funcionais 
O Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento de Materiais Funcionais é uma evolução do Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos, que recebeu apoio financeiro da FAPESP na primeira fase do Programa CEPID e teve como foco de pesquisa a síntese de materiais com composição química, microestrutura e morfologia controladas. O novo centro utilizará essa competência para a pesquisa e desenvolvimento de materiais funcionais nanoestruturados, customizados para solucionar problemas relacionados à energia renovável, saúde e meio ambiente. O Centro contará com plantas-piloto de nanopartículas funcionais e estimulará a geração de novas empresas de base tecnológica. Oferecerá, ainda, programa de educação voltado para professores do ensino médio.
 

Assuntos mais procurados