FAPESP realiza evento sobre o PIPE em Sorocaba | AGÊNCIA FAPESP

FAPESP realiza evento sobre o PIPE em Sorocaba Diálogo sobre Apoio à Pesquisa para Inovação na Pequena Empresa tira dúvidas de empreendedores com ideias inovadoras que querem submeter propostas ao programa (foto: Sérgio Queiroz)

FAPESP realiza evento sobre o PIPE em Sorocaba

14 de março de 2019

Marcos de Oliveira  |  Agência FAPESP – A primeira edição do ano do Diálogo sobre Apoio à Pesquisa para Inovação na Pequena Empresa foi realizada em Sorocaba, em 28 de fevereiro. A próxima será em São Paulo no dia 27 de março. O próximo encontro a ser realizado no interior do Estado será em Araçatuba, em 24 de abril.

Esses eventos são uma oportunidade para que empreendedores interessados em apresentar projetos ao Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP esclareçam dúvidas sobre os procedimentos de submissão.

“Em Sorocaba, tivemos a presença de 60 a 70 pessoas, que trouxeram, por exemplo, questões sobre os itens que podem ser financiados em um projeto PIPE”, disse o professor Sérgio Robles Reis de Queiroz, membro da coordenação adjunta da diretoria científica da FAPESP na área de Pesquisa para Inovação que apresenta esses eventos do PIPE.

“Os eventos no interior começaram a ocorrer de forma regular no ano passado e fazem parte de um esforço de interiorizar o PIPE”, disse Queiroz. Hoje as solicitações de projetos estão concentradas em algumas poucas cidades.

Grande parte dos projetos aprovados pelo PIPE desde 1997 está nas cidades de São Paulo (578), Campinas (333) e São Carlos (315). Em seguida estão São José dos Campos (171) e Ribeirão Preto (102). Essas cinco cidades são naturalmente inclinadas à pesquisa, tecnologia e inovação por abrigarem vários polos universitários e institutos de pesquisa. Num terceiro grupo, estão Piracicaba (54), Sorocaba (35), Botucatu (32) e São José do Rio Preto (23).

“Os eventos do PIPE no interior são uma espécie de semeação de incentivo a projetos inovadores. Os resultados serão colhidos mais tarde com crescimento econômico e tecnológico”, disse Queiroz. “Isso é possível ao se fomentar um desenvolvimento local, com mais empresas, por exemplo."

Os diálogos do PIPE no interior contam com parcerias do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), entidade que cede o local para as apresentações, a Desenvolve SP-Agência de Desenvolvimento Paulista e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Em 2017, a FAPESP destinou R$ 71,9 milhões para auxílios e bolsas vigentes e aprovou 270 novos projetos de auxílio à pesquisa do PIPE. O programa apoia a execução de pesquisa científica e/ou tecnológica em pequenas empresas sediadas no Estado de São Paulo com até 250 empregados. Os projetos são executados por pesquisadores com vínculo empregatício com a empresa ou a ela associados para a sua realização.

Os projetos são realizados em duas fases. A primeira, com duração de até nove meses, é de demonstração da viabilidade tecnológica da ideia inicial. Tanto pode ser um produto como um processo ou um serviço. Nessa etapa, os recursos disponíveis são de até R$ 200 mil. A segunda fase é a de desenvolvimento do produto/processo/serviço e tem duração de no máximo 24 meses, com até R$ 1 milhão em valores não reembolsáveis.

Mais informações sobre o PIPE: www.fapesp.br/pipe.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados