FAPESP promove em Londres debate sobre cooperação científica entre Brasil e Europa | AGÊNCIA FAPESP

Durante três dias, FAPESP Week reunirá pesquisadores brasileiros e europeus

FAPESP promove em Londres debate sobre cooperação científica entre Brasil e Europa

25 de setembro de 2013

Agência FAPESP – Um panorama da pesquisa brasileira, incluindo avanços na ciência e no desenvolvimento de novas tecnologias obtidos nos últimos anos por pesquisadores do Brasil e da Europa, poderá ser visto durante a FAPESP Week London, que ocorre entre os dias 25 e 27 de setembro na capital do Reino Unido. O evento terá transmissão ao vivo pela internet a partir de www.fapesp.br/week2013/london.

Realizado pela FAPESP, com apoio do British Council e da Royal Society, o simpósio vai mostrar resultados de pesquisas conduzidas em diversas instituições de ensino superior e de pesquisa de São Paulo.

Temas como Biodiversidade, Genômica, Mudanças Climáticas, Biocombustíveis, Nanotecnologia e Cultura Científica serão objeto de exposições e discussões.

Entre os pesquisadores brasileiros estarão Carlos Alfredo Joly, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Paulo Eduardo Artaxo Netto, Lisete Compagno Michelini, Maria Immacolata Vassalo de Lopes e Siu Mui Tsai, da Universidade de São Paulo (USP), Luciana Vanni Gatti, do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), e E.A. Thoroh de Souza, da Universidade Mackenzie.

Pesquisadores de diferentes instituições na Europa, como Martyn Poliakoff, da Royal Society, Peter Olesen, do Danish Council for Strategic Research, Georgina Mace e Jeremy Woods, do Imperial College London, Gordon McFiggans, da University of Manchester, e Philip Macnaghten, da Durham University, também participarão do debate.

O simpósio ainda terá painéis sobre colaboração científica internacional e mudanças e oportunidades na pesquisa colaborativa universidade-indústria.

Momento oportuno

A FAPESP Week London ocorre em um momento em que a pesquisa científica brasileira atinge seu mais alto patamar de projeção internacional, com índices que demonstram a crescente participação do país no sistema global de ciência e tecnologia.

Para o presidente da FAPESP, Celso Lafer, a Fundação está se inserindo nos círculos internacionais de apoio à pesquisa, encorajando pesquisadores europeus a estreitar seus vínculos com as universidades brasileiras, que oferecem boas oportunidades de pesquisa. “O Brasil está consolidando seu status e evoluindo para uma das principais economias do mundo baseadas no conhecimento. Por isso, estamos abertos a fazer parcerias de pesquisa com instituições europeias que realizam pesquisa”, diz.

A FAPESP já mantém acordos bilaterais com todos os sete Conselhos de Pesquisa do Reino Unido, incluindo o British Council, além de acordos de cooperação para a pesquisa com 13 universidades britânicas.

Para Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, o objetivo é mostrar São Paulo como um centro global de alto impacto em ciência multidisciplinar. “Buscamos atrair pesquisadores e professores visitantes de qualidade mundial. Nossas universidades estão em ascensão nos rankings mundiais, com um grande aumento na qualidade e quantidade de publicações impactantes de autoria de cientistas brasileiros. Podemos estar perto de um ponto de inflexão no reconhecimento global do impacto da ciência de ponta que está sendo feita no Brasil”, avalia.

A FAPESP Week faz parte de um esforço para aumentar a visibilidade da pesquisa realizada em São Paulo. Além de Londres, já foram realizados eventos similares nos Estados Unidos, Canadá, Espanha e Japão, com previsão de ocorrer também em Pequim, na China, em abril de 2014.

Paralelamente ao evento, a embaixada do Brasil em Londres vai sediar a exposição Brazilian Nature – Mystery and Destiny, resultado de uma parceria entre a FAPESP e o Museu Botânico de Berlim que mostra o trabalho de documentação feito pelo naturalista alemão Carl Friedrich Philipp von Martius (1794-1868).

A exposição também apresenta uma comparação das imagens produzidas no século 19 com fotografias atuais de plantas e biomas, além de retratar alguns dos resultados de pesquisas realizadas no âmbito do projeto Flora fanerogâmica do Estado de São Paulo e do Programa de Pesquisas em Caracterização, Conservação, Recuperação e Uso Sustentável da Biodiversidade do Estado de São Paulo (BIOTA-FAPESP), que reúne pesquisas sobre caracterização, conservação, recuperação e uso da biodiversidade do Estado de São Paulo.

Mais informações sobre a FAPESP Week London em: http://www.fapesp.br/week2013/london/

Assuntos mais procurados