FAPESP lança pesquisa de imagem de programas de apoio à inovação | AGÊNCIA FAPESP

Objetivos da consulta eletrônica, disponível até 31 de agosto, são avaliar a percepção da instituição junto ao meio empresarial e coletar opiniões de empresas de base tecnológica sobre os programas PITE e CPE (foto: Agência FAPESP)

FAPESP lança pesquisa de imagem de programas de apoio à inovação

07 de agosto de 2018

Elton Alisson  |  Agência FAPESP – A FAPESP lançou, por meio de uma parceria com a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), uma pesquisa de imagem com foco em seus programas de apoio à pesquisa e à inovação em empresas de grande e médio porte, como o de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE) e o programa Centros de Pesquisa em Engenharia (CPE).

A consulta eletrônica visa avaliar a percepção da FAPESP pelo meio empresarial e, mais especificamente, coletar opiniões e contribuições acerca dos pontos fortes e oportunidades de melhoria dos programas PITE e CPE.

“A FAPESP tem se empenhado na aproximação do meio empresarial, intensificando e aprimorando o apoio a empresas que conduzem atividades de pesquisa e inovação no Estado de São Paulo”, disse Horacio Aragonés Forjaz, gerente de relações institucionais da FAPESP.

“A pesquisa se insere nessa preocupação e tem o objetivo de identificar o quão bem a FAPESP é conhecida e entendida no ambiente empresarial, assim como demandas e expectativas em relação aos seus programas de apoio a atividades de pesquisa e inovação tecnológica”, explicou.

A pesquisa do Programa Aproximação com Meio Empresarial pode ser respondida até 31 de agosto de 2018 por dirigentes e executivos responsáveis pelos departamentos de pesquisa, desenvolvimento (P&D) e inovação de grandes e médias empresas de base tecnológica, de todos os setores econômicos nacionais ou internacionais, que realizam atividade de pesquisa no Estado de São Paulo.

“Nos concentramos inicialmente em empresas de grande e médio porte, usuárias potenciais do PITE e CPE. Em um segundo momento deveremos contemplar o universo de pequenas empresas, alvo principal do programa PIPE [de Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas]”, disse Forjaz.

O foco da pesquisa futura sobre o PIPE será em pequenas empresas que ainda não submeteram projetos para serem apoiados pelo programa ou tiveram o primeiro pleito denegado, antecipou Forjaz. “Pretendemos visitar aceleradoras de empresas e apresentar o PIPE e mostrar como elas poderiam tirar maior proveito desse programa que já apoiou mais de 1.200 pequenas empresas no desenvolvimento de projetos de pesquisa voltados à inovação”, ressaltou.

O PIPE tem como objetivo aumentar a competitividade, estimular a cultura de inovação de forma permanente e ampliar postos de trabalhos em empresas com até 250 funcionários. Já o PITE tem foco na cooperação entre universidades e empresas e possui duas modalidades de implementação: o PITE Convênio, em que a FAPESP e a empresa propõem o tema da pesquisa, e o PITE Demanda espontânea.

Por sua vez, o CPE é um programa de pesquisa em colaboração com grandes empresas e de longo prazo (até 10 anos). Cada Centro é cofinanciado pela FAPESP e pela empresa parceira e cogerido por universidades e institutos de pesquisas – o vice-diretor do Centro é indicado pela empresa – selecionados por meio de edital.

Seis CPEs estão em operação e quatro em fase de implantação, tendo como parceiros Shell, Statoil, Peugeot Citroën, GlaxoSmithKline (GSK), Embrapa, Usina São Martinho, Koppert e Natura.

“O conjunto de grandes, médias e pequenas empresas de base tecnológica, além de universidades, instituições de pesquisa, aceleradoras, incubadoras e parques tecnológicos no Estado de São Paulo representam a base de clientes da FAPESP, que pretende que eles façam mais uso de seus programas de apoio à inovação”, avaliou Forjaz.

A pesquisa pode ser acessada em https://goo.gl/forms/g0COIjSCDfh74G9k2.
 

Assuntos mais procurados