Esalq-USP realiza 2º Censo AgTech Startups Brasil | AGÊNCIA FAPESP

Objetivo é apoiar iniciativas como atração de investimentos, sensibilização dos produtores rurais, programas corporativos de inovação aberta e definição de políticas públicas (foto: Pixabay)

Esalq-USP realiza 2º Censo AgTech Startups Brasil

17 de abril de 2018

Agência FAPESP – Em sua segunda edição, o Censo AgTech Startups Brasil reunirá informações que auxiliem a criação de iniciativas de fomento ao ecossistema, como, por exemplo, atração de investimentos, sensibilização dos produtores rurais, programas corporativos de inovação aberta e definição de políticas públicas.

O levantamento é produzido pela AgTech Garage em parceria com a Escola Superior de Agronomia Luiz de Queiroz (Esalq) da USP. A coleta de dados para a segunda edição do Censo começou em abril de 2018, por meio de questionários preenchidos pela internet, que serão avaliados e tabulados em maio.

Os números finais do mapeamento, que tem abrangência nacional, serão divulgados em junho e incluirão um quadro com o panorama brasileiro das startups distribuídas por área de atuação e um infográfico com base nas respostas obtidas de todos os empreendimentos.

A base já mapeada para a primeira edição do censo será o ponto de partida. “Os dados foram apresentados em diversos eventos pelo Brasil e o mundo, o que fez com que muitas entidades se organizassem para desenvolver formas de incentivo ao empreendedor agtech”, disse o professor Mateus Mondin, do Departamento de Genética da Esalq e um dos coordenadores do levantamento.

As startups interessadas em participar do censo podem responder formulário on-line. As informações serão trabalhadas de forma agregada e nenhuma informação considerada confidencial será divulgada.

Mais informações: www.agtechgarage.com/censo/ ou pelo e-mail info@agtechgarage.com.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados