Engenharia e desenvolvimento | AGÊNCIA FAPESP

Professora da Feagri/Unicamp é destacada em publicação da Academia Real de Engenharia do Reino Unido sobre desafios dos países em desenvolvimento (foto: Antoninho Perri/Unicamp

Engenharia e desenvolvimento

02 de fevereiro de 2009

Agência FAPESP – Irenilza de Alencar Nääs, professora da Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), é um dos cinco engenheiros destacados na publicação Engineering Change – Towards a sustainable future in the developing world, publicado pela Academia Real de Engenharia do Reino Unido.

Os perfis dos cinco complementam uma série de ensaios sobre desafios das engenharias nos países em desenvolvimento. São engenheiros que, segundo Peter Guthrie, professor da Universidade de Cambridge, “alcançaram sucesso no cenário internacional e contribuíram para o desenvolvimento de seus países e de outros”.

“O objetivo da publicação não é simplesmente mostrar a relação positiva entre a engenharia e o desenvolvimento, mas sugerir como engenheiros são profissionais-chave para a erradicação da pobreza e promoção do desenvolvimento, contribuindo com soluções de alta complexidade e interação com equipes multidisciplinares”, disse Irenilza ao portal da Unicamp.

Os outros engenheiros destacados foram Rajendra Pachauri (Índia), chairman do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáriacas (IPCC), Dato Lee Yee-Cheong (Malásia), Himanshu Parikh (Índia) e Ayisi Makatiani (Quênia).

Irenilza foi a primeira mulher a ser eleita presidente da Comissão Internacional de Engenharia Agrícola (CIGR). Foi presidente fundadora da Sociedade Brasileira de Engenharia Agrícola e da Sociedade de Engenharia Agrícola da América Latina e Caribe. É docente da Unicamp e trabalha com pesquisas na área de criações de aves, suínos e bovinos.
 

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados