Convênio contribuirá com confiabilidade de poços de petróleo | AGÊNCIA FAPESP

Pesquisadores do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID FAPESP) desenvolverão modelos para análise de componentes em poços da Petrobras (imagem: Petrobras)

Convênio contribuirá com confiabilidade de poços de petróleo

14 de janeiro de 2019

Agência FAPESP – O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) firmou um novo convênio com a Petrobras, que envolve pesquisas para o desenvolvimento de metodologias e métricas de confiabilidade de equipamentos de construção de poços de petróleo.

O projeto, coordenado por Francisco Louzada Neto (ICMC/USP), reúne também os docentes José Alberto Cuminato (ICMC/USP), Oscar Hernandez Rodriguez (EESC/USP) e Vera Lúcia Damasceno Tomazella (UFSCar). O aluno de pós-doutorado Pedro Ramos participa do trabalho que envolverá outros especialistas em Estatística, Mecânica dos Fluidos e Engenharias Mecânica e Elétrica.

Com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, o CeMEAI é um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiado pela FAPESP.

Em novembro de 2018, os engenheiros da Petrobras Cedric Hernalsteens e Feliciano Silva estiveram em São Carlos para uma das reuniões de alinhamento do projeto com duração de quatro anos e que resultará em avanços no desenvolvimento da modelagem da confiabilidade de sete equipamentos utilizados na construção e manutenção dos poços.

“Os desafios na construção de poços de petróleo vêm aumentando ao longo do tempo, seja pelo aumento das dificuldades técnicas devido à maior complexidade das áreas a serem desenvolvidas, seja pelas melhorias nas regras dos órgãos reguladores visando aumentar a segurança. Existem dois pilares que devem nortear um projeto de um poço de petróleo: segurança e produtividade”, disse Louzada em notícia do CeMEAI.

O pesquisador lembrou ainda que a literatura específica na área de confiabilidade tem dado maior ênfase à utilização de ensaios de degradação como uma alternativa aos ensaios que levam em consideração somente condições usuais de funcionamento.

Outro convênio já está em andamento com a Petrobras para novas tecnologias nos reservatórios de pré-sal.

Mais informações: www.cemeai.icmc.usp.br
 

Assuntos mais procurados