Centro apoiado pela FAPESP é finalista do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica | AGÊNCIA FAPESP

Centro apoiado pela FAPESP é finalista do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica Projeto sobre armazenamento de carbono e metano em cavernas de sal marinhas ultraprofundas concorre na área temática “Exploração e Produção de Petróleo e Gás”; Centro de Pesquisa para Inovação em Gás é um CPE constituído na USP em parceria com a Shell (imagem: RCGI)

Centro apoiado pela FAPESP é finalista do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica

07 de novembro de 2019

Agência FAPESP – O Centro de Pesquisa para Inovação em Gás (RCGI) é um dos finalistas do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica 2019, com o projeto “Sistema de Armazenamento e Separação Gravitacional de CO2 [dióxido de carbono] e CH4 [gás metano] em Cavernas de Sal Construídas em Ambiente Offshore de Águas Ultraprofundas no Brasil”. A cerimônia de premiação será no dia 28 de novembro, no Palácio do Itamaraty, Rio de Janeiro.

“A indicação do nosso projeto ao prêmio revela, ao mesmo tempo, o reconhecimento do bom trabalho de uma equipe que atua na fronteira do conhecimento tecnológico e o reconhecimento de que a temática de armazenamento de carbono ganha importância no cenário nacional”, disse Gustavo Assi, diretor de Difusão do Conhecimento do RCGI, um Centro de Pesquisa em Engenharia (CPE) constituído pela FAPESP, em parceria com a Shell, na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

Além da Shell e da USP, o projeto tem como parceiras as empresas Modecom, Technomar, Agronautica e Granper.

O Prêmio ANP de Inovação Tecnológica é realizado desde 2014 e está em sua sexta edição. O objetivo é reconhecer instituições de pesquisa credenciadas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), empresas brasileiras e empresas petrolíferas que apresentem resultados associados a um ou mais projetos relacionados ao desenvolvimento de bens, produtos, serviços, sistemas, processos, metodologias ou conceitos inovadores para o setor de petróleo, gás natural e biocombustíveis. Os projetos devem ser desenvolvidos no Brasil, com recursos da Cláusula de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) dos contratos de Exploração e Produção de Petróleo (E&P).

Dividido em quatro áreas temáticas, o prêmio tem cinco categorias. São escolhidos três finalistas em cada categoria, que correspondem aos resultados mais bem avaliados de cada uma delas. Os critérios de julgamento dos projetos concorrentes são três: originalidade, relevância e aplicabilidade/funcionalidade.

O projeto do RCGI é finalista na Categoria II da área temática “Exploração e Produção de Petróleo e Gás”, que diz respeito a resultados associados a um projeto desenvolvido por uma empresa brasileira, com ou sem participação de instituição credenciada na ANP, em colaboração com empresa petrolífera.

A técnica de separação gravitacional de CO2 e CH4 é objeto de uma patente depositada pelos pesquisadores ligados ao projeto 34 do RCGI: “Desenvolvimento de estudos sobre construção de cavernas de sal para estocagem e separação de CO2 e CH4 na região do pré-sal”.

A patente está registrada como “Método de separação gravitacional do gás natural em cavernas, sistema de captura e armazenamento definitivo de gás natural com CO2 e sistema de captura e armazenamento definitivo de CO2.”

A relação completa dos finalistas, em ordem alfabética, por categoria, pode ser consultada no site da ANP.

* Com informações da Assessoria de Comunicação do RCGI

  Republicar
 

Republicar

A Agência FAPESP licencia notícias via Creative Commons (CC-BY-NC-ND) para que possam ser republicadas gratuitamente e de forma simples por outros veículos digitais ou impressos. A Agência FAPESP deve ser creditada como a fonte do conteúdo que está sendo republicado e o nome do repórter (quando houver) deve ser atribuído. O uso do botão HMTL abaixo permite o atendimento a essas normas, detalhadas na Política de Republicação Digital FAPESP.


Assuntos mais procurados